Pode, Arnaldo?

 

Depois de muito tempo, finalmente a FIFA cedeu à pressão pelo uso de tecnologia no auxilio da marcação de gols. Após o chutaço de Frank Lampard que entrou quase meio metro dentro do gol alemão na Copa de 2010 que existe, por todos os lados, pedidos para o uso da tecnologia no esporte. A International Board (Quem faz as regras do futebol) decidiu que tudo seria resolvido com árbitros atrás do gol. Não, não foi, os árbitros-auxiliares-extra atrapalharam e nem melhoraram o desempenho da arbitragem. Prova disso foi na EUROCOPA 2012, jogo Ucrânia e Inglaterra, em que John Terry, zagueiro inglês, acabou salvando o gol ucraniano depois que a bola ultrapassou a linha. Ou seja, agora é a hora da tecnologia.

 

 

Dois sistemas atenderam todos os requisitos dados pela FIFA: o GoalRef e o Hawk Eye. O GoalRef é, basicamente, colocar um sensor na bola e criar um campo magnético nas traves. E o Hawk Eye consiste em espalhar doze câmeras ao redor do campo, e com isso criar uma imagem tridimensional, seu defeito é que tem de haver no mínimo 25% da bola ao alcance de suas câmeras. Nos dois casos, o arbitro será avisado pelo relógio de pulso.

 

 

A International Board votou, e escolheu as duas. Ou seja, elas têm um ano de licença para poder usar seus sistemas em competições oficiais. Algumas ligas nacionais já irão utilizar-se dos novos sistemas, mas o teste de fogo será o Mundial de Clubes da FIFA no fim do ano. Sediado no Japão, o torneio contará com os dois sistemas, um em cada um dos estádios da competição. Tudo indica que será também utilizado na Copa das Confederações do ano que vem.

 

 

Como a tecnologia ainda é um pouco cara, a FIFA decidiu que esse sistema não será obrigatório. Além disso, os árbitros ainda tomarão a decisão de marcar ou não os gols, já que somente eles saberão quando for dado o sinal de “gol”. Cabe ao arbitro da partida confiar ou não na máquina. A tecnologia será bem vinda ao futebol, em minha opinião, além do mais, não vamos precisar parar a partida e analisar as respostas do sistema. Isso sim é algo que se adequa bem ao dinamismo do futebol, esperamos que de tudo certo. Ainda há uma chiadeira por parte de alguns que dizem que qualquer tecnologia pode ser “hackeada”, então esperemos os testes para ver o que nos espera! Uma coisa é certa, a tecnologia já veio tarde ao futebol!

 

Temporada nova chegando e com ela as alterações das regras do futebol. Esse ano foram definidas as emendas à regra do esporte, datadas de 31 de maio. A International Football Association Board mais uma vez foi conservadora e não resolveu sequer experimentar as propostas mais polêmicas.

 

As alterações são tem efeito a partir do Julho, mas no Brasil só entrarão em vigor em janeiro do ano que vem.  E agora vamos às regras alteradas:

 

Regra 1 – O Terreno de Jogo

 


  • Qualquer tipo de publicidade deverá estar a, no mínimo, um metro de distância do campo.

Essa medida teve em vista o fato de alguns estádios colocarem publicidade nas redes das traves. Com isso se houver algum tipo de publicidade nas redes da meta, ela deverá estar a, no mínimo, um metro de distância.


Regra 3 – Número de Jogadores

Japan head coach Alberto Zaccheroni (1L) and staffs and players are seen on the bench during the FIFA World Cup Brazil Asian Qualifier match between Japan and Jordan at Saitama Stadium on June 8, 2012 in Saitama, Japan.

  • A partir de agora, uma equipe pode fazer uma alteração antes de começar a partida sem precisar notificar o arbitro ou seus auxiliares. Sem ser passível de punição. O ocorrido deverá apenas ser informado a seus superiores.

Esse tipo de situação é recorrente, é normal algum atleta se contundir no aquecimento. As equipes apenas deveriam avisar aos responsáveis pela partida da mudança e tudo bem, a partir de agora não será necessário. Então podem se preparar para que os treinadores possam começar a usar a artimanha da escalação surpresa, podem esperar.

 

  • O numero máximo de suplentes por equipe passará de 7 para 12. Mas o regulamento de cada competição poderá estipular um número máximo de suplente, como em alguns países da Europa que usam 5 suplentes.

Como na Copa do Mundo, agora em cada jogo o treinador terá 12 opções no banco de reserva, isso dá chance para mais gente, aumenta o leque de opções e acaba com a “escalação errada”, quando um treinador leva um lateral esquerdo para o banco, mas eventualmente acaba precisando de um direito no decorrer da partida. Mas lembre-se que o Regulamento da Competição pode estipular algum número máximo de reservas.

 

Regra 4 – Equipamento de Jogadores


  • Os jogadores só poderão usar Fita Adesiva ou outro adereço nas meias se estes forem da mesma cor.

Impedindo assim que aja qualquer tipo de confusão, pois as meias de equipes adversárias tem de ser de cores contrastantes.

 

Regra 8 – Início e Reinicio dos Jogos

 


  • Em bola ao chão, se o chute acabar entrando na meta adversário o jogo será reiniciado em tiro de meta, e não haverá gol. Se a bola entrar na sua própria meta a partida será reiniciada em escanteio. Acabando com os gols trapalhados na hora do Fair Play (VEJA AQUI)

Essas alterações vêm para acabar com situações inusitadas, com quando um atleta quer devolver a bola para a outra equipe por conta de um ato de Fair Play e a bola entra. Hoje em dia esse tipo de lance seria validado como gol.

 

Regra 12 – Faltas



  • A regra da ‘mão na bola’ e ‘bola na mão’ foi alterada, agora se você usou sua mão para atrapalhar o adversário será punido com cartão amarelo. Se houver prejuízo por parte de quem sofreu a infração, o atleta infrator deverá ser punido.

A questão agora é, se você usou a mão de proposito e atrapalhou seu adversário, toma cartão, e ponto final.

 

Outras Informações


  • Apenas duas empresas passaram para a segunda faz de destes do Sistema Gol Não Gol (Avaliação Eletrônica de validação de gol).
  • Os Sprays que os árbitros usam no Brasil para a marcação da distancia continuam sendo utilizados, mas ainda em fase de testes.
  • Os Árbitros Adicionais continuam podendo ser utilizados, mas em fase de teste.

Deparei-me com uma situação estranha nesta semana, na quinta feira jogando o torneio do Grêmio do IFPB meu time estava um pseudo-atleta do esperando que o arbitro apitasse autorizando a cobrança de um escanteio, o arbitro, por sua vez, acho que ele estava fazendo cera e o puniu com… uma… Reversão de escanteio!?! Como costumava ler a regra de cabo a rabo tive logo certeza absoluta do equivoco do juiz, e claro não o poupei de criticas no meio do jogo, sua primeira explicação foi: “Se existe reversão de escanteio em outros esportes, por que não no futebol de campo?” e após o jogo me disse: “Eu fiz um curso que diz que tinha, e aí?”, retruquei logo: “não tem e trago para você”, mas aí percebi que era uma questão interessante demais para abordar apenas numa competição interna de faculdade e resolvi externar o que pesquisei para vocês.

 

Lei do Tiro de Canto:

A regra do escanteio é bem clara e explicativa na sua definição, como todos aqui devem saber o que é um escanteio então vamos à parte das infrações. Na Regra do tiro de canto temos os procedimentos padrões: bola no quarto de circulo, adversários a 9,15m de distância e que a bola estará em movimento a qualquer toque mesmo que esta não deixe o quarto de circulo. O Detalhe mais interessante é que não existe gol contra em Escanteio! Sobre infrações e sanções a regra faz menção que as únicas infrações a serem marcadas são quando o jogador que cobrou toca na bola mais uma vez (diferenciando os casos em que tocam com a mão ou quando é o goleiro que cobra e toca com a mão fora ou dentro da área). A regra também faz menção que quando um atleta que cobrar o tiro de canto com força excessiva e imprudente contra um adversário para recuperar a bola depois deverá ser marcado falta contra quem cobrou, mas esse quesito fica aberto a muitas interpretações. E no final A REGRA e concluída com “Por qualquer outra infração a esta Regra: • será repetido o tiro de canto”

 

Ou seja, não existe em hipótese alguma possibilidade de reverter um escanteio, demoras e ceras então devem ser punidas com cartões e só. Mas como diz o grande Arnaldo César Coelho, também se deve usar o bom senso, pois se uma equipe não quiser cobrar um escanteio para travar o jogo a única punição possível é expulsar todos os jogadores? Enfim, conhecer e interpretar as regras do futebol não é fácil, mas aqui faremos o máximo para com clareza e tranquilidade explorar as regras, suas falhas e suas curiosidades.

 

Com a palavra os profissionais


@LeonardoGaciba Leonardo Gaciba 

se ele estava realmente demorando, deveria receber cartão amarelo, e sim cobrar o escanteio, mas não reversão.

 

@CoelhoArnaldoC Arnaldo Cezar Coelho

reversão em tiro de canto,o arbitro inventou amigo…

 

@SimonApito Carlos Eugênio Simon

Não. A regra não permite.Abraço


******



Sobre o Autor

Yan Cavalcanti, 22 anos, paraibano apaixonado por futebol desde pequeno. Graduando em Sistemas para Internet pelo IFPB, ex-aluno Marista, Estagiário da Dataprev, Goleiro ofensivo, gamer, e acima de tudo fã de um futebol bem jogado e analista da parte tática, sempre tentando arrumar uma forma de explicar uma partida de futebol.

Sobre o Blog

O Futeblog nasceu da vontade de compartilhar com o mundo minha visão sobre o futebol, espero aqui discutirmos de simples opiniões apaixonadas até questões táticas profundas, conto com ajuda de vocês para que possamos tornar esse blog uma ótima experiência fora das quatro-linhas, do passado ao presente, futeblog está aqui para que nós possamos mostrar como vermos esse esporte que é a maior paixão nacional de todas!

Enquete

Neymar está pronto para guiar a Seleção Brasileira em 2014?

View Results

Loading ... Loading ...